quinta-feira, 24 de julho de 2014

O Jovem e o mundo das drogas: parem com a hipocrisia que “o buraco é mais em baixo”.

Vejo algumas opiniões e textos interessantes falando sobre os jovens e o “mundo das drogas”, porém não posso deixar de questioná-los, pois não acredito que entrar no “mundo das drogas” seja uma opção de escolha meramente racional ou de pura rebeldia juvenil. Se assim fosse, este seria um problema até mais fácil de resolver.

Entretanto, existem outros fatores que não podem deixar de serem pensados, tendo em vista a complexidade da questão. Bem se sabe que algumas instituições como as igrejas, escolas, clubes e associações recreativas já não mostram mais tantos atrativos para a juventude atual. Muitas destas se preocupam quase que exclusivamente em ampliar seu campo de atuação para angariar mais “fiéis”, clientes ou associados; ou seja, estão bem mais preocupadas consigo mesmas. Não fosse assim, em cada comunidade existiriam projetos ou programas voltados exclusivamente para os jovens.

O Estado por seu lado, não cumpre com suas responsabilidades para atender as crianças os adolescentes e, consequentemente suas famílias, seja no âmbito educativo, social ou cultural.

As famílias também estão enfrentando suas crises, e por vezes não sabem como conduzir ou educarem seus filhos diante tantas complicações e da complexidades do mundo atual, como mudanças de valores, falta de bons exemplos etc.

Por fim, faz-se necessário refletir sobre os diversos e complexos fatores que podem levar um jovem a entrar no “mundo das drogas”, pois jogar toda essa culpa sob sua própria responsabilidade, além de ser uma reflexão simplória, por vezes, chega a ser irresponsável. No mais, prestemos mais atenção sobre o que prescreve o Artigo 227 de nossa Constituição Federal para que façamos a nossa parte em busca de um mundo melhor, que de fato ele o será.

Kico Seridó.