terça-feira, 4 de maio de 2010

A batalha dos Homens e Suas Religiões


Que estrada nos mostrará o caminho a ser seguido? Tantas crenças, tantas verdades e muitas são as promessas. Os homens professam sua fé, acreditam que estão no caminho certo, mas por vezes, agem de maneira contrária. Teorizam sobre a bondade, porém fazem uso da maldade, da hipocrisia e da desigualdade como meio para atingirem seus fins.

Entre a opulência e a simplicidade religiosa escondem-se muitos segredos. Em nome de suas crenças e interesses muitos entram em guerra e no final quem vencerá? Quem reinará os impérios celestes?

Quanto aquele conhecido como “o espírito das trevas” lutará também, ou ficará na espreita vendo os homens se digladiarem em prol de suas causas e em nome de suas religiões? Dizem que o “espírito do mau” é calculista, faz suas manobras e engana os homens que se guerreiam. Estaria ele por trás de tudo isso? E quanto a mim, o que tenho haver com isso? Nada disso me interessa, essa guerra não me pertence, não é minha. Minha luta é viver o dia a dia.

Os homens criaram seus deuses e suas crenças e os usam conforme suas conveniências; ocultam seus interesses e se guerrearem. E eu, o que tenho haver com isso? Eu não quero a guerra, não pertenço a ela, essa luta não é minha. Minha luta é suportar o dia a dia.

Kico Seridó