segunda-feira, 11 de novembro de 2013

A Sublime Experiência de um Sonho

Como é estranho o poder de nossa mente. Às vezes penso que não tenho o controle sobre ela e de fato vi que não o tenho. Ao acordar pela manhã tive a sensação de ter sido transportado pra outra realidade. Digo isso devido ao belo sonho da noite passada, onde este me fez experimentar sensações e sentimentos jamais vividos.

Até este momento no qual escrevo, não consegui assimilar a lógica do que me aconteceu enquanto dormia. Sei que foi apenas um sonho, entretanto um belo sonho. E o que são os sonhos? Alguns os explicam cientificamente, outros misticamente. Diante de tantas explicações, posso apenas afirmar que o meu foi algo sublime.

O cenário era lindo e só havia dois personagens: EU e ELA. Ainda não sei quem escreveu o roteiro daquela história, mas quem quer que o tenha feito, fez-me sentir algo que até então eu não havia vivenciado.

Ela como de costume estava linda. Sua beleza era sem tamanho, pois me faltam até as palavras para descrevê-la. Se eu fosse um pintor de extremo talento imortalizaria aquela imagem, já que naquele instante ela era a tradução do belo, do sublime, da fantasia e da felicidade. Como disse antes, eu nunca havia experimentado algo tão místico, tão intenso e ao mesmo tempo tão estranho e verdadeiro.

Nossos sentimentos se fundiam e nossos corpos se harmonizavam de modo tão fascinante que nossas mentes se completavam na mais perfeita unidade que a paixão poderia atingir. Ainda não conseguir entender tudo isso. Será que algum ser sobrenatural quis brincar comigo? Logo eu que me achava isento de sentir tais sentimentos. E ela? Por que ela, dentre tantas, por que ela? Verdade é que sempre a admirei tanto físico quanto espiritualmente. Sempre a via dona de uma beleza diferenciada, cheia de atributos angelicais misturado com uma sensualidade sem tamanho.

Ah! Aquele sonho, que belo sonho... Queria ter o poder eternizá-lo, pena não poder de imortalizá-lo.

Agora que a “ficha caiu”, percebi que nada foi de fato real. De repente me vem uma certa frustração, pois nunca tinha (nem mesmo em sonhos) sentido algo tão forte e tão intenso. O pior é fico querendo entender se aquilo foi obra de minha mente ou do sobrenatural. Fato é que esta foi uma experiência onírica fantástica. Diante de tudo isso, posso afirmar com toda convicção que se um dia eu vier amar alguém verdadeiramente, nada será igual ao que vivi e sentir naquele sonho.

Pode ser que ela nunca saiba o que estou escrevendo, pois nem eu mesmo ainda entendi; mas eu não podia deixar de relatar, não podia deixar de dizer que ela, aquela menina, protagonizou a mais bela historia, o mais belo e o melhor sonho que um dia sonhei.

Kico Seridó.